Fui atraída por essa capa linda e devorei o livro rapidamente. A obra começa com uma cena do passado e que atormenta Kat em pesadelos até sua vida adulta. Quando ela tinha apenas 9 anos, presenciou o assassinato do pai durante um assalto e só não morreu também porque um garoto misterioso a salvou.

Agora já formada, decide largar as aulas de uma escola particular para encarar detentos da penitenciária Artur Kill. Contrariando amigos e para revolta de sua mãe, seu objetivo é enfrentar os medos e cumprir uma promessa que fez ao pai sobre fazer a diferença.

Ela odiava o próprio medo; odiava a raiz dele e sabia que tinha que encará-lo – mesmo estando apavorada.

Lá ela conhece o estressado e briguento detento Wes Carter. Ele tem uma ficha extensa com a polícia por seu envolvimento com drogas e confusões, mas está para conseguir a condicional e decide entrar nas aulas para agilizar esse processo. Atividades extras contam pontos a seu favor.

No começo eles de desentendem bastante, mas são movidos por uma química inexplicável que faz Kat querer ajudá-lo mesmo depois que ele consegue a liberdade.

Interessante dizer que, embora pareça, Wes não faz o tipo bad boy. Ele é um cara inteligente, preocupado e super leal. Só fez escolhas erradas na vida e agora paga o preço. Kat também não é uma mocinha típica de livros de romance. Ela é decidida e não choraminga pelos cantos quando algo dá errado. Vai lá e resolve.

A trama foca em um amor de segundas chances, de quebra de preconceitos, de companheirismo e entrega. Super indico a leitura para quem gosta de cenas hot bemmmm quentes e ama personagens masculinos lindos de viver. Sério, Wes é muito fofo e romântico, não tem como não se apaixonar.

Ela segurou o rosto dele com as mãos. — Então não tenha medo — insistiu ela. — Simplesmente fique comigo. E eles se beijaram. E Carter se perdeu nela. Cada. Maldita. Parte. De. Si.

Ahhh! Temos um detalhe maravilhoso no livro, mas não posso contar porque estragaria a surpresa. Só digo que Kat é a Pêssegos do Wes. ❤

O livro faz parte de uma trilogia, só que com histórias diferentes. Já temos lançado Paixão libertadora que narra a vida do melhor amigo de Wes.

– Sei que não deveria, mas, minha nossa, eu quero. – Ele passou o polegar pela boca de Kat. – Quero descobrir qual o gosto do seu lábio superior. – Ele lambeu o próprio lábio. – E depois comparar com o inferior. – Ele expirou. – Estou desesperado para saber se sua língua tem sabor de pêssegos.Os olhos de Kat se fecharam ao ouvir aquelas palavras.

Trilha sonora para embalar a leitura

There’s Nothing Holdin’ Me Back (Shawn Mendes)

♫ Cause if we lost our minds
And we took it way too far
I know we’d be alright
Know we would be alright
If you are by my side
And we stumbled in the dark
I know we’d be alrigh ♫

E se virasse filme

Com certeza seriam esses atores, química perfeita.

e-se-virasse-filme

NOTA: 4

nota