Não sei nem como começar essa resenha porque esse livro não é uma história de felizes para sempre e tem uma temática bem pesada. Clay é um adolescente que recebe em sua casa 13 fitas de áudio de sua colega de escola Hannah Baker, que se suicidou há algumas semanas. Segundo Hannah, cada fita está relacionada a uma pessoa que de certa forma teve a ver com o fato trágico e, depois de ouvir, ela deve passar para a próxima pessoa da lista.

Clay fica sem entender o por quê de receber essas fitas, principalmente porque ela era alguém com quem ele se importava, ele gostava dela, mas não pôde fazer nada para impedir o que aconteceu. O fato de ele estar relacionado com aquilo o deixa aterrorizado, mas mesmo assim ele precisa saber os motivos e então ele ouve.

Estou escutando alguém desistir. Alguém que eu conhecia. Alguém de quem eu gostava. Estou escutando. Mesmo assim, estou atrasado. (Clay)

O livro é narrado da perspectiva de Clay e de Hannah (por meio dos áudios) e é muito bem diagramado, além de ter na contracapa a planta dos locais em que Hannah e Clay passam. Dessa forma, a narrativa fica bem fluida e faz com que você se sinta dentro da história, o que torna a leitura rápida (eu li em pouquíssimo tempo).

Eu particularmente acho que esse tema é muito delicado e ou autor deve ser muito cuidadoso ao tratar do assunto. Não acho que o suicida deve ser tido como um herói na história, para que ele não se torne exemplo pra ninguém. E o ponto positivo é que o autor trata da maneira como deve ser. Uma pessoa real, que precisa de ajuda, e ele ainda mostra que muitas vezes precisamos nos abrir mais sobre os nossos sentimentos. Hannah precisava se abrir mais e tratar o que estava sentindo e Clay talvez precisasse se abrir mais quanto aos seus sentimentos por ela.

Outra coisa que achei importante foi o livro trazer à tona que muitas vezes estamos tão preocupados com os nossos próprios problemas que não observamos os sinais que outra pessoa dá de que ela precisa de ajuda.

Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito. (Hannah)

O livro termina com uma pitada de esperança e tem telefones úteis para que, as pessoas que se identificarem com Hannah, peçam ajuda. É uma história triste, de um romance que não aconteceu, mas que vale a pena ler pela reflexão.

Trilha sonora para embalar a leitura

Esse trecho tem tuuudo a ver com o livro:

How to Save a Life – The Fray

♫ Where did I go wrong? I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life ♫

E se virasse filme

O livro vai virar série e a adaptação já tem os atores que irão interpretar os personagens:

e-se-virasse-filme

Nota: 4

nota

* Notas de 1 a 5.