Eu estou tão chocada com esse livro que até pensei em deixar para escrever outra hora, talvez um dia (piadinha péssima, mas é verdade rs). Obra envolvente da Colleen Hoover que esfrega na sua cara um tema muito polêmico, a traição, e faz você refletir, refletir, refletir.

Estou sentindo um misto de raiva e alegria… Uma parte de mim ama a trama, enquanto a outra não consegue aceitar um relacionamento assim, que nasceu fazendo outra pessoa sofrer, todos sofrerem, na verdade.

Ainda mais sabendo que já vivi uma situação como a de Sydney e Maggie, tenho vontade de me socar no estômago por ainda torcer pelo casal. Mas qual casal? A gente nem sabe para quem torce no meio do enredo. Uma coisa que amo na escrita da Colleen é que ela não escolhe os caminhos mais fáceis NUNCA em seus livros.

O desejo é fácil de combater. Especialmente quando a única arma que o desejo possui é a atração. Não é tão fácil quando você está tentando vencer uma guerra contra o coração. (Syd)

Syd e Ridge se aproximam por causa do amor pela música, ambos são compositores. A paixão que começa a nascer nos dois é linda, inocente e muita intensa, movida por emocionantes letras, mas com eles buscando ao máximo afastar esse sentimento.

Ela ainda está na faculdade e acabou de ser traída pelo namorado de 2 anos com sua amiga de quarto. Ele já é formado e namora há 5 anos o amor da sua vida. Isso mesmo, O AMOR DA SUA VIDA: Maggie. Sydney não quer de forma alguma se tornar uma Tori. E Ridge não quer ser um Hunter (Tori era sua amiga de quarto e Hunter o ex-namorado). Mas as circunstâncias fazem os dois irem morar no mesmo apartamento.

Não tenho dúvidas de que poderíamos ser perfeitos para a vida um do outro, Sydney. É a nossa vida que não é perfeita para nós. (Ridge)

Sobre Maggie e Ridge é importante dizer que não temos um relacionamento fracassado, melancólico ou com brigas. Eles são lindos juntos, são companheiros e leais. Quando ele está com ela, ele vive ela. Mas quando está com Syd, ele vive Sydney.

Confesso que teve um momento que odiei a autora por trazer essa dualidade, por me fazer pensar sobre isso, tive vontade de jogar o livro longe. Mas não joguei. É difícil admitir, mas nem sempre uma traição é completamente injustificada, ás vezes o coração é capaz de amar o errado. Odiei porque não aceito isso, mas ainda assim quis torcer por Ridge e Syd. Muito confuso né? Por isso ainda estou tão perdida com esse livro. Nem sei começar a explicar. Para mim é tão óbvio em mil jeitos diferentes como a traição é errada…

Para deixar o clima ainda mais envolvente e conflitante, a autora fez questão de acrescentar um detalhe bem ENCANTADOR na história. Não vou contar para não perder a graça, mas você descobrirá nos primeiros capítulos o que Ridge tem de tão especial.

Não querendo me alongar mais, porque na verdade nem sei mais o que dizer (estou totalmente perdida com essa leitura, beirando ao arrependimento total haha), quero finalizar dizendo que fiquei feliz pelo final, mas não concordo, embora. Ou será que concordo? Efeito Colleen. Leiam e, POR FAVOR, façam seus comentários.

Trilha sonora para embalar a leitura

Música para embalar a leitura é o que não vai faltar. Como o pano de fundo de toda história é a música, a Colleen maravilhosa fez parceria com o cantor Griffin Peterson. Todas as canções descritas por Syd e Ridge estão nesse site: www.maybesomedaysoundtrack.com o///

Maybe Someday (Griffin Peterson)

♫ And if I can’t be yours now
I’ll wait here on this ground
Til you come, til you take me away
Maybe someday
Maybe someday ♫

Tem um clipe muito fofo da música ❤

E se virasse filme

Se a história de Syd e Ridge fosse para as telinhas, ia adorar os seguintes atores como protagonistas:

e-se-virasse-filme

NOTA: 4

* Notas de 1 a 5.