Esse filme pode até parecer meio clichê à primeira vista, a garota nerd e desconhecida, se envolve com o cara mais popular da escola, ajuda ele a melhorar seu comportamento e acabam se apaixonando. Nada contra filmes com esse tipo de clichê, mas se fosse só isso talvez eu consideraria um pouco chato.

Porém, esse filme se aprofunda em questões mais sérias do que isso, autoestima, violência, alcoolismo, autoconhecimento, perseguir seus sonhos, enfim, tudo isso torna a história muito mais interessante e acrescenta um tom mais reflexivo à trama.

Eu adorei os personagens principais e gosto muito da Shailene Woodley, acho que mesmo que eu veja vários filmes dela, em cada um deles ela realmente parece uma pessoa completamente diferente.

A história é bem fofa e é interessante ver como os personagens vão se envolvendo. Ela ajuda Sutter ser uma pessoa melhor, se envolver com a família, enfrentar seus medos e ele também ajuda Aimee sair da zona de conforto, se mostrar para o mundo e seguir seus sonhos. Parece um romance adolescente que poderia acontecer na vida real, com seus altos e baixos e tudo mais. É legal a forma como filme incentiva a importância de vivermos o agora e fazermos o que queremos, o que sonhamos, aproveitar o momento.

Uma coisa que não gostei do filme é a forma como Sutter trata Aimee em alguns momentos e ela aceita facilmente, ou perdoa facilmente coisas que ele faz. Não acho que seja um bom incentivo a maneira como ela aceita tudo e deixa pra lá coisas que eu acho que deveriam ser discutidas melhor.

Achei que o relacionamento deles, apesar de ter sua parte bela, em que um ajuda o outro a ser uma pessoa melhor, também não é completamente saudável e precisa de melhorias, mas qual relacionamento não tem problemas?

De uma forma geral acho que vale a pena assistir, porém não entra na minha lista de filmes preferidos. O longa é a adaptação de um livro, mas não despertou meu interesse a ponto de querer ler o livro, por isso acabei deixando pra lá.

NOTA: 4

nota

* Notas de 1 a 5.